Muitas vezes começamos a sentir dores na coluna e uma das causas pode ser o “Bico de Papagaio”. O corpo vai se ajustando e, com isso, é normal que apareçam algumas complicações em nossa estrutura óssea.

Muitas vezes começamos a sentir dores na coluna e uma das causas pode ser o “Bico de Papagaio”. O corpo vai se ajustando e, com isso, é normal que apareçam algumas complicações em nossa estrutura óssea.

Muitas vezes começamos a sentir dores na coluna e uma das causas pode ser o “Bico de Papagaio”. O corpo vai se ajustando e, com isso, é normal que apareçam algumas complicações em nossa estrutura óssea.
Algumas delas irão causar dor, outras não. Algumas serão características da idade e muitas outras só existirão em virtude das consequências da nossa postura. Entre estas doenças da idade está o bico de papagaio, que se instala na coluna de algumas pessoas. Porém, com mais facilidade em pessoas acima dos 40 anos de idade, como uma tentativa de estabilizar uma estrutura desgastada. A doença funciona como uma defesa do próprio organismo, desenvolve-se uma pequena saliência, parecendo um bico, por isso o nome popular da Osteofitose.

Possíveis tratamentos
Essa doença crônica e degenerativa vem se tornando um problema de saúde pública. O fisioterapeuta Bernardo Sampaio pontua que “estima-se que em 2030 a população idosa no país será a quinta maior do mundo todo. Por isso, é preciso estar atento aos sinais do corpo e tentar se manter ativo para chegar na terceira idade de uma maneira saudável e sem dor”.

Segundo Sampaio, o bico de papagaio tem maior incidência na região lombar, mas pode atingir outras partes da coluna. Seus sintomas podem ser amenizados através da combinação de anti-inflamatórios e exercícios físicos. “A fisioterapia é uma grande aliada nesse processo. Há diversas causas que podem agravar o bico de papagaio. O tabagismo, alcoolismo, sedentarismo, e dietas ricas em doces e carboidratos, prejudicam o envelhecimento sadio”, explica Sampaio.

“Com relação às dores do bico de papagaio, é importante ressaltar que nem todo mundo terá dor. Muitas vezes essa sensação incômoda pode estar relacionada a uma perda momentânea de movimento. Por isso, o fisioterapeuta deverá fazer associação dos exames de imagem com associações degenerativas da idade, compreendendo o caso como um todo”, conclui o especialista.