O uso dos sabonetes íntimos é muito importante para a saúde da mulher. Tire as suas duvidas com os principais mitos e verdades sobre os sabonetes íntimos.

Veja mitos e verdades sobre o uso de sabonetes íntimos

Já faz algum tempo que os sabonetes íntimos se tornaram fortes aliados da saúde da mulher, mas é importante lembrar que o seu uso exige alguns cuidados. Muitas mulheres ainda têm dúvidas quanto ao uso de sabonetes íntimos.

A ginecologista e obstetra Patrícia de Rossi defende a utilização para uma higiene adequada na região vaginal. “É interessante porque a água sozinha não retira toda a sujidade nem a escamação de células. A água não tem esse poder de detergência”.

Confira as principais questões sobre o uso do sabonete íntimo:

Qual a composição dos sabonetes íntimos?

Por ser um produto de uso específico, ele deve ter detergência suave, que remove restos de células, gorduras e sujidades da região vaginal sem atacar o manto lipídico, a camada de proteção que permite a transpiração. Além disso, também preserva a pele hidratada.

Um produto com alta detergência põe em risco o manto lipídico e, consequentemente, deixa a pele vulnerável a infecções e a situações como desconforto, irritação e coceira. Segundo Patrícia, “a mulher deve observar algumas caraterísticas importantes dos sabonetes íntimos, como a classificação de hipoalérgico e a informação de que é dermatologicamente testado”, afirma.

Pode ser usado em períodos menstruais?

No período menstrual é até melhor que o uso do sabonete íntimo seja intensificado, pois oferecem uma sensação de frescor e limpeza. “Outro aliado da mulher são os lenços umedecidos, que servem para complementar a higiene. No entanto, é preciso prestar atenção no tipo de lenço usado. Alguns não são indicados para a região vaginal e agridem demais a pele”, alerta a médica.

E na menopausa?

Durante a menopausa, a pele da vulva tende a ficar mais seca. Além dos sabonetes íntimos, a mulher ainda pode lançar mão de outro produto caso sinta uma sensação constante de coceira: um creme hidratante.

Para a ginecologista, “não há problema algum, desde que seja aplicado na região que tem pele (grandes lábios). Algumas pessoas acham que esse tipo de produto é necessário para equilibrar o pH da vagina, mas isso não tem nada a ver. Eles são apenas para tirar a sujidade e descamação nas partes externas”, comenta Patrícia.

Os sabonetes íntimos tratam infecções?

“É fundamental esclarecer que não, eles não tratam infecções. Portanto, se a mulher sofrer de algum problema, a recomendação é que suspenda o uso do sabonete e procure um médico para tratar a infecção”, esclarece a especialista.

Existem alternativas naturais?

Existem alternativas naturais aos sabonetes íntimos industrializados. É preciso ficar atenta aos componentes. Há até versões de cosméticos veganos, assim como sabonetes artesanais. “É preciso tomar cuidado para saber direito qual a matéria-prima utilizada e todos os componentes do produto. Quanto menos componentes, menor é a chance de causar alergia”, explica.

Quais as principais dicas?

O ideal é optar pela versão líquida dos sabonetes íntimos, pois nos produtos em barra podem ficar alguns resíduos. Não há problema em utilizar sabonetes com perfumes ou neutralizador de odores, se não causar irritação. “Use sempre sabonetes íntimos e lenços umedecidos que não contenham álcool. Saiba se o produto é específico para a região genital. Se a mulher utilizar produtos que não seguem a formulação correta, estará mais suscetível a ter problemas, uma vez que a pele estará menos protegida. Evite produtos bactericidas”, adverte a médica.